Março 21, 2010

algo que escrevi esses dias, e to tentando transformar em música…

Dança de abraços

Nas madrugadas em que caminhamos
Sobre colchões perdendo a conta de quantos
Mundos descobrimos e cada vez que sorrimos
Pra cada liberdade conquistada

Sem testemunhas que pudessem denunciar
O que fomos naqueles momentos
Rasgamos adereços e montamos fantasias nuas
Para sermos apenas nós mesmos

Como bardos ébrios de paixão e ideais
Dançamos nesse instante infinito
E com os passos declaramos o fim desses mitos
Agora somos os dois reis de nós mesmos

Anúncios